O que é uma Sangha?

Se você possui uma sangha que o suporte, é fácil nutrir as sementes da iluminação (bodhicitta). Se você não tem ninguém que o compreenda, que o encoraje a praticar o dharma vivo, seu desejo de praticar pode murchar. Sua sangha, família, amigos e co-praticantes formam o solo fértil, e você é a semente. Não importa quão vigorosa seja a semente, se o solo não provê nutrição, sua semente morrerá. Uma boa sangha é crucial para a prática. Por favor, encontre uma boa sangha ou ajude a criar uma.

Uma boa comunidade é necessária para nos ajudar a resistir os caminhos “não sagrados” do nosso tempo. Viver consciente nos protege e nos ajuda a caminhar na direção da paz. Com o suporte de amigos na prática, a paz tem uma chance.

O Buda, Dharma e a Sangha são as três jóias preciosas no Budismo, e a mais importante dessas jóias é a Sangha. A Sangha contém o Buda e o Dharma. Um bom professor é importante, mas irmãs e irmãos de prática são o principal ingrediente para o sucesso. Você não pode alcançar a iluminação trancando-se em uma sala. Transformação somente é possível quando você está em contato. Quando você entre em contato, toca o solo, você pode sentir a estabilidade da terra e se sentir confiante. Quando você observa a firmeza do brilho do sol, do ar, e das árvores, você sabe que pode contar com o nascer do sol a cada dia e que o ar e as árvores estarão lá. Quando você constrói uma casa, você a constrói em um terreno sólido. Você precisa escolher amigos na prática que são estáveis, com os quais você possa contar.

Tomar refúgio na sangha significa colocar sua confiança em uma comunidade sólida de membros que praticam a atenção juntos. Você não precisa praticar intensivamente. Apenas estar na sangha onde as pessoas são felizes, vivem profundamente os momentos de sua vida, é suficiente. A forma que cada pessoa tem de sentar, caminhar, comer, trabalhar e sorrir é uma fonte de inspiração; e a transformação ocorre sem esforço. Se alguém com problemas é colocado em uma boa sangha, simplesmente estar lá será suficiente para trazer uma transformação. Eu espero que comunidades de prática no ocidente se organizem como famílias. Nas sanghas asiáticas, nos dirigimos uns aos outros como irmão do dharma, irmã do dharma, tia do dharma ou tio do dharma, e podemos chamar nosso professor de pai do dharma ou mãe do dharma. Uma comunidade de prática precisa ter esse tipo de irmandade familiar para nutrir a prática.

Se você possui uma sangha que é alegre, animada pelo desejo de praticar e ajudar, você amadurecerá como um bodhisattva. Eu sempre digo aos monges, monjas e leigos praticantes que se eles querem ser bem sucedidos na prática, devem encontrar formas de viver em harmonia uns com os outros, mesmo com aqueles que são difíceis. Se não podem ser bem sucedidos na sangha, como serão fora dela? Se tornar um monge ou monja não é simplesmente entre o aluno e o professor. Envolver um “sim” de todos na sangha, é um verdadeiro selo do dharma.

Dois mil e seiscentos anos atrás, Shakyamuni Buddha proclamou que o próximo Buda seria nomeado Maitreya, o “Buda do Amor”. Penso que o Buda Maitreya será uma comunidade, e não apenas um indivíduo.

Fonte (Adaptado): Cultivating the Mind of Love, © 2008 by Thich Nhat Hanh